Paz: um bem escasso e sempre desejado

Indubitável!

Leonardo Boff

O que mais se ouve no princípio de cada ano novo são os votos de paz e de felicidade. Se olharmos com realismo a situação atual do mundo e mesmo dos distintos países, inclusive do nosso, o que mais falta é justamente paz. Ela é um bem tão precioso que sempre é desejado. E precisamos nos empenhar muito (quase ia dizendo…precisamos lutar, o que seria contraditório) para conseguir aquele mínimo de pez que torna a vida apetecida: paz interior, paz na família, paz nas relações de trabalho, paz no jogo político e paz entre os povos e também paz com Deus. E como é necessária! Além dos atentados terroristas, existem no mundo 40 focos de guerras ou conflitos, geralmente, devastadores.

São muitas e até misteriosas as causas que destroem a paz e impedem a sua construção. Restrinjo-me à primeira delas: a profunda desigualdade social mundial. Thomas Piketty escreveu um inteiro…

View original post 665 more words

Crase – de segunda a sexta

Pode parecer complexo, mas é tudo lógico: se puder existir «ao», pode existir «à».

Visions of hope

Como um dos posts mais acessados do blog é Crase – A direção, de 2007, resolvi fazer uma continuação com o erro que eu mais vejo por aí.

Escrevem “de segunda a sexta” usando «à» com tanta freqüência que daria para até se confundir e achar que é com «à» mesmo… Se não fosse a lógica😀

Como eu já disse antes, a regra básica da crase é: «à» é o feminino de «ao». Você poderia, se quisesse, dizer:

da segunda ao sábado”

e portanto daí poderia dizer, por analogia:

da segunda à sexta”.

Mas na prática, não usamos da nem ao, usamos dea. Então deve ficar:

de segunda a sábado”

de segunda a sexta”.

Sem crase, portanto.

Note que as horas são um assunto completamente diferente.

das 08:00 ao meio-dia”

das 08:00 às 22:00”

das 08:00

View original post 17 more words

Crase – A direção

Aliás, antes de terminar este post, me lembrei de um caso relacionado. Eu sempre me admiro com as grandes faixas dos supermercados Zaffari e Bourbon em Porto Alegre escritas impecavelmente (algo mais ou menos assim): “De segunda a sábado, das 8h às 23h”. Inclusive com a abreviação certa de “horas” (apenas o h). No site também está assim. Meus parabéns a eles. Em compensação, na única vez que fui no Carrefour, encontrei cartazes dignos de risadas, mal e mal dava pra entender o que eles queriam dizer, de tão ruim que estava o português… Acho que estavam querendo baixar tanto os preços que cortaram custos até nos cuidados com a escrita…

Visions of hope

Por que será que é tão difícil ensinar nem que seja a regra básica da crase? É complicado ver numa universidade (e nas placas nas ruas, e nos panfletos, e nos sites da internet, e por aí vai…) erros como uma mensagem afixada na parede terminando com “À direção”. Se o objetivo fosse escrever algo destinado à direção, destinado ao diretor,aí sim seria com crase. Mas no caso do cartaz na parede que eu vi deveria ser sem, porque a direção é a autora da mensagem, não a destinatária!

Se for ver, existe uma regra supersimples pra entender a crase: À é o feminino de AO, e ÀS é o feminino de AOS (e “ás” é o nome daquela carta de baralho😀 ). Só isso. Só com isso dá pra deduzir um monte de casos… é só pensar. Volta e meia eu vejo uma placa que…

View original post 204 more words

O Conceito de Trabalho Imaterial – Hardt & Negri – Multidão- (2005)

Que não se pode tocar, impalpável.

Cacaufreire's Weblog

HARDT, Michael; NEGRI, Antônio. Multidão: guerra e democracia na era do imperio. Tradução: Clóvis Marques. Rio de Janeiro: Record, 2005.

“A cena contemporânea do trabalho e da produção, como explicaremos, está sendo transformada sob a hegemonia do trabalho imaterial, ou seja, trabalho que produz produtos imateriais, como a informação, o conhecimento, idéias, imagens, relacionamentos e afetos. Isto não significa que não exista mais uma classe operária industrial trabalhando em máquinas com suas mãos calejadas ou que não existam mais trabalhadores agrícolas cultivando o solo. Não quer dizer nem mesmo que tenha diminuído em caráter global a quantidade desses trabalhadores. Na realidade, os trabalhadores envolvidos basicamente na produção imaterial constituem uma pequena minoria do conjunto global. O que isto significa, na verdade, é que as qualidades e as características da produção imaterial tendem hoje a tranformar as outras formas de trabalho e mesmo a sociedade como um todo. Algumas dessas novas…

View original post 429 more words